Páginas

18 janeiro 2012

Ana Zanatti no Alta Definição




Ana Zanatti fala sobre a sua carreira e a sua homosexualidade e sublinha a importância de sermos fiéis a nós próprios. Vale a pena perder algum tempinho, se o puderem dispensar.


Ela responde a uma pergunta que aproveito para vos (leitores gays lol!) perguntar: quando foi que descobriram que eram gays?

12 comentários:

O-Riordan disse...

Eu descobri algures entre os 14 e os 19, entre experiências, o que via e ouvia dizer...

Aos 19, lembro-me exatamente do dia, hora e local, acordei e disse a mim próprio que afinal era homossexual, que não havia volta a dar. Assumi-me a TODOS os meus conhecidos nessa tarde (exceto família) e depois foi, a partir desse dia até hoje, um turbilhão de sentimentos, experiências e sensações que só vividas na primeira pessoa fazem sentido. ;)

E tu? =P

Mark disse...

É uma grande senhora, sem dúvida. Tenho um livro dela, um romance, em que aborda a homossexualidade nas mais diferentes perspectivas. Chama-se "Os Sinais do Medo". Acaba tragicamente, mas a vida também não se compadece de misericórdia, infelizmente.

Quanto à tua pergunta, a minha resposta é bem clara: creio que no fundo, no fundo, soube que era gay desde muito cedo. Contudo, como era ingénuo (falo dos meus 4, 5 anos), desvalorizava isso. Aliás, nem sabia o que era. Soube-o claramente por volta dos 10 anos. Sente-se. :)

FOP disse...

Eu acho que desde pequeno. Lembro-me de estar a ver X-Men e achar bastante 'graça' aquele personagem que emitiu raios laser pelos olhos. Depois, quando era pequeno dava Marés Vivas e achei sempre mais interessante admirar os corpos esculpidos dos nadadores salvadores do que os das nadadoras.
:)

Jaime disse...

Uma grande senhora! Um exemplo!

Eu sempre soube, as pessoas a minha volta também. A palavra "Gay" foi um choque na minha vida, no meio onde vivo, mas já todos sabíamos quem era eu, principalmente eu. Sou assumido desde os 14 anos. Concordo com o Mark, é uma coisa que se sente... eu sempre senti.

vou tornar-me seguidor! Gostei muito do blog!

pinguim disse...

Excelente a todos os níveis: corroborou em tudo, o que dela sempre pensei - uma grande Mulher!

O-Riordan disse...

Come out, come out, wherever you are (hiding) ...

Horatius disse...

Há em mim duas fases distintas: o descobrir e o aceitar.

O descobrir, e acho que sempre soube, mas talvez me tenha apercebido por volta dos 13. Mas nunca o aceitei, tendo sido até um pouco homofóbico (no fundo acredito que uma reacção à minha não-aceitação).

Aceitei, devido a vários motivos, entre os quais ter-me tornado independente e estar longe da família, por volta dos 19-20.

A minha fase homofóbica, hoje, encaro-a como um processo de construção. Felizmente nunca o fui com alguém diretamente (também não sou pessoa disso), mas acho que foi mesmo isso, uma fase, que veio do facto de vir um meio bastante conservador. Hoje rio-me do que era nesses tempos...

Tito disse...

Este programa tem por habito revelar aspectos profundos das pessoas. Coisas que eles nao falam no dia a dia. Gosto imenso de ver :)
Acho que este foi sem duvida o que mais me marcou. Chorei enquanto via. Nao so pela parte em que ela fala da homossexualidade, mas tambem sobre e vida em geral, sobre estarmos bem connosco mesmos.
Esta senhora impressionou-me bastante pela positiva e ganhou mais um fã. Excelente entrevista! :)

um coelho disse...

É, de facto, uma grande senhora. Sempre gostei dela, já em pequeno com aquelas comédias que ela fazia com a Rosa do Canto. Quanto à pergunta... não sei uma data ao certo, como o O-Riordan. Talvez entre os 22 e os 24 anos, comecei a perceber que as namoradas que tinha tido até aí não me completavam.

sad eyes disse...

Devemos muito a pessoas como ela.
(eu descobri bem depois dos 20...)
abc

Speedy the Turtle disse...

boa pergunta... acho que sempre soube. E desde muito cedo mesmo antes de descobrir a sexualidade

kevin gola disse...

Eu sou bi e escobri que também gostava de homens para aí aos 13, foi uma epoca um bocado confusa até aos 15, então com o amadurecimento intelectual,com a pesquisa sobre o assunto e com os relacionamentos que tve de ambos os sexos, descobri que não só tinha desejo pelos dois sexos, como não queria saber se a pessoa com quem eu estava era homem ou mulher, amava-a.