Páginas

06 dezembro 2009

Sábado à noite...

... foi a primeira vez que vi um show travesti e adorei.

Diverti-me e ri imenso, de tal forma que até as minhas bochechas doíam.

Mas às vezes penso em demasia, a maioria das vezes merda, merda que me deixam ligeiramente triste.

Enfim, ninguém merece uma bicha com stress (era o que um dos travestis dizia - achei lindo!).

Vou para a minha caminha e continuar nos meus pensamentos, apaticamente!

P.S. - Melhor momento da noite: o hetero e a hetero a discutirem porque ela o tinha levado a ver aquilo. Ela ria-se perdidamente com a Emma Strass (estou correcto?). Acho que temos uma apoiante à causa Casamento Gay, já ele só faltou sacar da pistola e dar alguns tiros ao pessoal.

4 comentários:

Narciso disse...

Eu não acho muita piada a esse tipo de shows, também depende do performer...

Saiu a pouco tempo um filme português em que o tema são os travestis, chama-se "Morrer como um Homem". Ainda não vi mas tem boas criticas apesar de ter má actuação, entrou num concurso de cinema em Nova Iorque, ou seja, já é conhecido lá fora. Já que gostaste desse show, talvez queiras dar uma espreitadela ao trailer que está no Youtube ;)

Narciso.

pinguim disse...

Há bons e maus shows de travesti. E faço a distinção entre o travesti que se comporta em palco como uma mulher e sabe fazê-lo bem, havendo bons exemplos em Portugal, entre eles Deborah Kristall, que interpretou o filme mencionado no comentário anterior; e há o chamado travesti burlesco, que se baseia no exagero, com bom gosto de adereços femininos, mas não esconde que é um homem travestido; são estes travestis os que mais gosto, pela sátira que geralmente demonstram nos seus shows. E de longe o melhor que houve em Portugal foi Lídia Barloff, já falecido e que conseguiu com um show fabuloso - "A Dança das Bruxas", levar durante quase dois anos meia Lisboa, homo e heterossexual ao "Finalmente".
Abraço.

Filipe M. disse...

Narciso, eu já vi esse filme. Pessoalmente não gostei. Mas há uma história por trás, uma história verdadeira que não conhecia, pouco conheço e portanto analisando o filme sem isso, não é um grande filme.

Pinguim, pois. Era um barzinho que se não estou em erro se chama True Colors e que comemorava os anos de um dos travestis. Um amigo meu fez um show. E bom acho que foi bastante variado porque tinha esse 'dois movimentos'. Pessoalmente gostei imenso da Nicole não sei das quantas e da Emma Strass (que fazia anos e depois à conversa com o público foi super animada e a dizer as barbaridades à la bicha do demónio como eu aqui digo).

Infelizmente não conheço a Deborah Kristall, apesar de a ter visto no Queer Lisboa e ter fugido com o rabinho entre as pernas (matulona hein!) ^^

P.S. - Talvez o show tenha sido tão interessante por ter sido os anos da Emma e a maioria ser gente conhecida dela e estarem num ambiente familiar.

Otherside disse...

eu já assisti a uma coisa dessas à uns anos mas sinceramente nao gosto de nada naquilo lol

e sim eu criei o meu facebook... e não não sou um serial killer!