Páginas

30 outubro 2010

It get's better - o caralho!

Portanto, lá nas Américas, chegaram à conclusão que durante o básico e o secundário os miúdos são atormentados. É verdade. Mas depois o secundário acaba e vamos para a faculdade, para o trabalho, para o caralho... e julgamos lidar com homenzinhos e mulherzinhas (que no fundo não passam de idiotas com complexos sexuais...). E as coisas melhoram, é um facto... Mas estamos dias, meses, anos, sem lidar com comentários, ofensas, discriminação e quando levamos com ela ficamos sem reacção. Como reagir? Não sei, juro que não sei. 

Sou um jovem cheio de humor, chamam-me puta e eu dir-te-ei que é verdade, mas que não levo tão barato como tu. Vai ao meu trabalho e berra comigo e eu vou rir-me na tua cara porque não fazes ideia do que estás a dizer. Chama-me paneleiro, bicha, florzinha, borboleta... e eu vou ficar com a minha poker face e sem reacção. Como reagir? Não sei, dêem algumas dicas.

Hoje quando fui trabalhar, tive a surpresa de estar a cair água a potes. O percurso do autocarro teve de ser alterado porque haviam ruas transformadas em rios. Quando cheguei ao trabalho, a loja estava fechada, porque choveu lá dentro e estávamos em limpezas e coisas do género. Mesmo na catástrofe eu estava a rir-me e animado, cheio de energia e vontade de trabalhar (como quase sempre). Mas depois estava eu sozinho a repor uma palete e estavam todos os amigáveis heteros juntos a conversar e a trabalhar. E eu estava longe e não estava com atenção.

E acho que começaram a falar de mim e claro, da minha sexualidade. Porque a gerente chamou-me para ouvir o que estavam a dizer de mim e eu muito de pé atrás fui... Quando eu lá cheguei não percebi um bacalhau, não sei ao certo o que me chamaram, só sei que sugeriram que eu devia de dar numa de Village People e ser 'Macho Macho Men'. Claro que chegar a um grupo de 6 ou 7 pessoas que estão a falar, pelos vistos, mal de ti, é algo um pouco intimidativo. Portanto eu perguntei o que me tinham chamado e ninguém respondeu, depois falaram no 'Macho Macho Men' e fez-se luz. E eu dei meia volta e voltei ao meu trabalho, trombudo, sem energia, sem vontade...

E quando me mandaram almoçar, queriam que eu sorrisse e perguntaram-me se estava tudo bem. Ao que eu respondi muito cinicamente que estava tudo óptimo. Mas tenho a certeza que foi daqueles momentos em que a cara sorri, mas o olhos não. E tive de folga e fui hoje e chegar lá hoje e querer já folga é muito mau... porque ainda tenho até segunda para os aturar.


Portanto, a minha única pergunta é... como é que vocês reagem? Com humor? Mas o que dizem para tornar melhor esse momento tão patético, ridículo e humilhante...?

10 comentários:

Mark disse...

Olha, da minha parte não dou importância a isso. Verdade seja dita, eu não dou confiança às pessoas para que possam abusar dessa forma.
Claro que já me ocorreram situações esporádicas e algumas que me deixaram furioso!
Cada vez mais me capacito de que somos especiais e isso provoca reacções adversas naqueles que são "iguais", "comuns" e "desinteressantes". Temos uma sensibilidade rara. O mundo (ainda) não está preparado para a nossa saudável diferença. :)

Á procura da perfeição disse...

Não ia valer de nada repetir o que o Mark disse, porque concordo com tudo o que ele disse....
Mas nestes casos não podes dar a tua parte fraca, porque se eles notarem que te sentes fragilizado, vão te cair em cima cada vez mais...!!
Ou ignoras ou fazes algum comentário de gozo, (não é ofensivo...)... alguma parvoice do género "vocês querem é uma febra destas" xD
Até que a situação normalize... =)

Emanuel disse...

pois, são profundamente desconfortáveis situações assim, mas acima de tudo, sê tu mesmo, falar podem sempre falar nas tuas costas, assim como tu/eu/outros falamos nas costas de outra pessoa, mas pessoalmente tento superar essas cenas com o facto de eu ser muito mais do que a minha sexualidade, que além de não ser da conta de ninguém também não me define enquanto pessoa, e tal como tu disseste, o que te define como pessoa é o bom humor, a energia, a boa vibe. E é isso que tens que fazer ver os outros em ti claramente. Como reagir na altura, com a devida importancia que a situação requer, nenhuma! Se dissessem que tu eras um brutamontes sem educação nem que eras alguém em que se podia confiar, isso era grave, agora o falar daquilo que fazes dentro de 4 paredes...eh pá, caga de alto, larga um "se tu o achas..." e sê mais tu!

Little Tiago Boy disse...

Concordo com o que o Mark disse.

O que costumo fazer nesses casos é o mais simples: ignorar. Se deixas que te afecte é pior...

pinguim disse...

A última coisa que deves fazer é fazer de vítima; das duas uma, ou ignoras, o que não é fácil, ou então manda-os mesmo foder!!!

Speedy disse...

por acaso estas situações nunca se sucederam comigo. Penso que muita gente nem suspeita da minha sexualidade. E quando suspeitam, pensam que estou a brincar. Acho que o melhor é ignorares, porque as pessoas que te rodeiam vão sempre falar do que não compreendem. Se te chatearem a cabeça, faz como o Pinguim disse: mando-os foder. Um abraço

um coelho disse...

Sem dúvida, acho que ignorar é mesmo o melhor, apesar de me saber a 'engolir sapos'. No entanto, se fosse comigo, acho que mandava toda a genta à merdinha num piscar de olhos!

tiago disse...

tenho uma opinião contrária a toda a gente...
Quando a gerente te chamou devias ter ficado contente, pelo menos alguém lá parece querer que te falem na cara. Como já li no outro post mais recente as pessoas parecem começar a respeitar-te e a chave disso é seres tu o primeiro a respeitar quem és. Acho que não fazer das observações deles um problema é outra parte do caminho, a discriminação começa pela falta de informação, então à que mantêlos informados.

Anónimo disse...

sinceramente, tenho 27 anos e já me começo a fartar do discurso 'ignora, n ligues, és melhor que eles'. foda-se (murro no teclado). o melhor mesmo é dizer o que um belo dia me saiu ao chefe quando disse 'olha lá, tu deves ser maricas, porque é que nao assumes?'. e eu respondi: 'toda a gente sabe que V. Exa. é um grande anormal e não também nunca o vi a admitir tal facto perante terceiros.'. ate hoje nunca mais ouvi comentários.
posto isto, respondo sempre à letra. até na rua já ouvi comentários e viro-me sempre para trás para responder. normalmente digo em tom profético, com a língua preta e olhos só a ver-se a parte branca: V. Exa. n está acabada no mundo tem filhos e netos, como é que vai ser quando eles lhe disserem que querem ir viver com alguém do mesmo sexo? isto assusta sempre e as pessoas normalmente respeitam-me (nem que seja pelo medo do vudu;).

às vezes também resulta: pois, mas você é mal vestida!

de resto, n me calo e vivo bem a minha sexualidade.

acho muito importante nunca nos calarmos e respondermos suavemente e à letra. always with bué da style.

take care! ;) i heart your blog. totally!

Filipe M. disse...

I heart You Anónimo ;)