Páginas

06 outubro 2011

Detalhes do Choque

Quando acabamos uma relação com alguém e as coisas ficam mal, o nosso maior receio é voltar a encontrá-las. Bom eu tive um único namorado e as coisas, como muitos sabem, não acabaram bem. Agora riu-me disso, até lhe dei uma alcunha muito gira.

No passado domingo, era urgente sair de casa e curar a ressaca com muita água e quiçá chá. E lá fui eu. Fui a Loures, mais propriamente ao parque da cidade, para acampar na esplanada e beber o belo do meu chá e da minha água. Na pós-bebedeira ninguém está esbelta como devia estar. E, digamos, que, eu não  excepção. Tive de fazer a barba, estava pálido, com olheiras, meio grogue.

Portanto, vinha eu a rir-me (MUAHAHAHAHAHAH) duma piada qualquer quando o meu olhar cai sobre... nada mais nada menos que o meu Ex. Como ia à frente a rir-me que nem uma diva tive de olhar para trás, aproveitei para desviar o olhar e rir-me para a pessoa que tinha dito a piada. Aproveitei para respirar fundo, voltei a virar-me de frente e segui o meu caminho.

Sabemos que já seguimos em frente quando vimos um ex e não no diz nada. E foi o caso. O meu coração bateu, é verdade. E bateu forte, é verdade. Mas mais pelo medo da reacção. Não sei que imagem distorcida e tosca eu tinha de mim próprio, para ter andado com aquela coisa. Mas sendo ele um gajo das barracas somando ao facto de ser também uma bichinha traveca (sem nada contra as bichas, que adoro!), há que ter medo; muito medo!

Ele despachou a sua companhia tempo suficiente para ir sabe-se lá onde escrever uma mensagem. E pediu à empregada de mesa para a entregar. Estava em com muita sede, desejoso de pedir a minha bebida à empregada quando ela me arrumou logo a um canto, dizendo:

- Antes de mais, pediram-me para lhe entregar uma coisa.

Revirei logo os olhos, em completo choque. A rapariga entregou-me um guardanapo de papel bem embrulhado, o meu coração acelerou (o que honestamente com tudo o que eu tinha bebido na noite passada foi alarmante), fiz o pedido e ela abandonou-nos. Respirei fundo e li a mensagem.

Bom, a mensagem está no lixo, portanto a citação verdadeira está, muito provavelmente, em processo de decomposição. Mas era mais ou menos isto: "olá, como estás? Revi-te e gostei muito =)=) tás muito bonito, cada vez mais. aqui tens o meu nº...(e assinou). gostava de falar contigo para esclarecer as coisas e pelo menos ficarmos amigos".

Eu que estava doente, assoei-me ao papel. 

8 comentários:

sad eyes disse...

bem, eu já acabei uma relação que demorou dois anos para eu ter coragem para dizer "apaga os meus contactos e esquece que existo"... confesso que temo pela minha reacção ao reencontro (e já lá vão uns anos largos)...
mas acima de tudo acho que temos que acabar as coisas com dignidade, e algumas palavras, actos e descrições que aqui relataste pareceram-me demasiado violentas.

Filipe M. disse...

Talvez meu caro, talvez...

Não há nada pior do que uma mulher traída. Espera, há: um homem traído.

Enjoy.

Anónimo disse...

YOU GO BOY! Onde é que já se viu um gay sem self respect!? E simpático foste tu em limpares o narizinho em vez d 'O' olhinho... BACI RAGAZZO!!
Luís.

p.s. - esta verificação de palavras antes de submeter o comentário faz-me sentir aquela personagem infantil de uma novela brasileira que era filha adoptiva da regina duarte e dizia: "munina munita'...'

pinguim disse...

Concordo com o Sad eyes.
Quem nunca acabou uma relação?
Mas há que acabá-las com dignidade, o que não quer dizer que as pessoas fiquem amigas, se houver razões para tal.

Filipe M. disse...

Eu acabei com toda a dignidade. Acho um insulto à minha pessoa dizer que quer esclarecer as coisas.

Não há nada para esclarecer. Farto de mentiras estou eu.

myotherside disse...

não acredito. tu ficaste com o número.

Filipe M. disse...

Nop. Deitei fora lol... Não tenho qualquer interesse de reatar seja o que for. Muito menos de ouvir mais e novas mentiras.

um coelho disse...

Este episódio é delicioso, espero bem que tenha sido uma assoadela bem ruidosa e que ele tenha visto!