Páginas

17 março 2010

Esqueletos no armário...

Padre de 82 anos abusava de jovens

Justiça criminal investiga o caso. Hierarquia da Igreja Católica suspendeu três clérigos do estado de Alagoas

As imagens explícitas de um padre brasileiro de mais de 80 anos numa situação de sexo oral com um jovem de 19 anos, difundidas na passada semana pela cadeia de televisão SBT, levaram ao afastamento daquele e de dois outros clérigos da cidade de Arapiraca, estado de Alagoas, naquele que é o mais recente episódio numa série de casos de pedofilia e homossexualidade envolvendo padres católicos (ver caixa).

Foram afastados Luiz Marques Barbosa, de 82 anos, Raimundo Gomes, de 52 anos, e Edílson Duarte, de 43 anos, acusados de integrarem um esquema de pedofilia e homossexualidade naquele que é o maior país católico do mundo em número de fiéis.

Respectivamente responsáveis por duas catedrais e uma igreja da cidade, os três padres estão a ser investigados pela polícia e pela hierarquia. Esta divulgou ontem uma nota em que, "frente à gravidade dos factos", declara aberto "um processo administrativo penal, nos termos do Código Canónico", e a total disponibilidade para colaborar com a polícia.

Na reportagem da SBT, antigos acólitos denunciaram casos em que eles próprios ou outros adolescentes foram vítimas de abusos sexuais pelos indivíduos agora afastados. As denúncias eram acompanhadas com imagens do referido vídeo, gravado em Janeiro de 2009. Num gesto inqualificável, eram ontem vendidas em Arapiraca cópias clandestinas do vídeo, referiam os media brasileiros.

O jovem que aparece no vídeo, actualmente com 20 anos, revelou ser alvo de assédio sexual desde os 12 anos e que Luiz Marques teria tentado comprar o seu silêncio, contribuindo para o colocar na melhor escola da cidade. Outros testemunhos implicavam directamente Raimundo Gomes.

Luiz Marques era considerado uma figura de primeiro plano na igreja local, detendo o título honorífico de monsenhor e sendo alvo de testemunhos de reconhecimento da população e da hierarquia. Existe na cidade uma escola com o seu nome e esteve entre os escolhidos para acolher João Paulo II na sua visita à região nos anos 80.

Ouvido na reportagem da SBT, Luiz Marques limitou-se a afirmar que "é caso de confessionário. Só ao meu confessor eu posso dizer qualquer pecado meu"; os outros acusados negaram qualquer envolvimento em abusos sexuais.

O Vaticano comentou ontem esta situação, tendo o porta-voz da Santa Sé, o padre Federico Lombardi, declarado que "um foi afastado da sua paróquia e será julgado pela justiça civil", que é Luiz Marques. Os outros dois "foram suspensos das tarefas eclesiásticas e estão sob investigação canónica por suspeita de pedofilia".

O escândalo criou um clima de consternação e revolta entre a comunidade de Arapiraca, tanto mais que os religiosos afastados eram considerados puritanos e conservadores.

Os jovens que fizeram a denúncia afirmavam ontem que o seu objectivo é o de "afastar esses safados da Igreja". Alguns vão iniciar processos de pedido de indemnização contra os três padres.
Comentário de um leitor da notícia (só pode estar a brincar, certo?):
Não percebo porque é que toda a gente fica tão escandalizada com estas situações. Tenho quase a certeza que estes jovens deram o seu consentimento ao padre. E deviam sentir-se orgulhosos de terem tido um contacto tão próximo com um representante de Deus na Terra.

5 comentários:

Eric disse...

Realmente, onde o mundo já está. E esse comentário deve ser de uma pessoa completamente ignorante ou então fanática católica.

Anónimo disse...

Sempre se ouviu dizer que muitos padres têm destas atitudes, infelizmente já nada choca :/
Mas uma coisa é serem crianças pequenas, que não se possam defender, outra coisa é falar-se de um jovem de 19 anos. Vão dizer-me que foi abusado? com 19 anos já tem bela idade para saber defender-se, não sejamos hipócritas. Tão não tinha já autonomia para não permitir isso, nem que se virasse ao murro e pontapé ao padre. É óbvio que é apenas uma especulação, mas volto a frisar, uma coisa é falarmos de crianças que não se podem defender, outra coisa é um jovem de 19 anos, que praticamente é adulto. Mas enfim só Deus sabe o que se passou.

Filipe M. disse...

Eu acho que é como nos casos de violência doméstica. E por amor de Deus, são pessoas da Igreja, uma vida de sacrifício e entrega. Se calhar sentiu-se na obrigação de o fazer... se calhar foi 'torturado' psicológica ou fisicamente.

Começam por achar que a culpa é deles, que têm de se sujeitar a isso e voilá... rapazes como este são violados dia após dia, porque não sabem que aquilo não deve ser feito, que é abominável e que não têm a culpa.

P.S. - Obrigado pelo comentário ;)

pinguim disse...

Porque é que a Isilda Pegado, que gosta tanto de convocar manifestações na defesa dos valores morais e da família, não convoca uma manifestação contra estes abusos inqualificáveis de membros da Igreja, quando em Maio o Papa visitar Portugal?

soraialourenço disse...

Odeio abusadores... odeio mesmo acho o pior crime do mundo especialmente com crianças e jovens como é possível... O sexo devia ser um momento escolhido de prazer e não isto que se vê no Mundo. Acho as punições para este tipo de crime mto brandas.
Quero um Mundo Melhor!!!