Páginas

07 julho 2010

Detalhes da Vida

Ontem deram-me a ler um pequeno livro virtual sobre a história de um rapaz brasileiro chamado Flávio, que levava uma vida promiscua. O pequeno livro com não mais do que 17 páginas era intitulado de "Páginas da Vida de um Gay" e como já disser eram apenas os 'Detalhes Eróticos da Vida de um Gay' e uma carta de despedida, triste, da sua mãe (o Flávio morreu atropelado).

Bom, a verdade é que eu não li, apenas li a primeira e a última página. Primeiro porque contos eróticos não são a minha preferência e em segundo porque achei tudo um pouco bronco e rebuscado. Começa com a primeira vez que se masturbou na adolescência e acaba com a despedida da mãe.

Estas duas páginas levantaram-me umas pequenas questões. Elas são: 

  1. Os detalhes da vida de um indivíduo gay são só as suas aventuras e conquistas sexuais? (a mim parecer-me-ia muito mais interessante a história do por que ele não ter contado à mãe que era gay, vindo ela a ter de descobrir ao ler o seu diário após a sua morte; ai se quisesse dar um pouco de verosimilhança à sua história, poderia falar um pouco das suas aventuras)
  2. Sentimos mesmo de necessidade de partilhas as nossas histórias sexuais com um público virtual? Os detalhes da nossa badalhoquice não deviam manter-se privados ou quiçá à guardas dos nossos amigos mais chegados? 
  3. Não estamos nós cada vez mais superficiais? (a quantidade de homens que levámos para a cama no último fim-de-semana, a quantidade de roupa que comprámos numa hora, o amado que não nos responde há mais de uns dias) Cada vez mais egoístas, egocêntricos e artificiais?
Então, afinal quais são os detalhes da vida de um indivíduo gay que vale a pena ler e onde podemos ler?!


4 comentários:

Believer disse...

Revi-me tanto no teu comentário que não resisti a escrever aqui: ORA NEM MAIS! Então e onde é que está a pessoa para além do sexo?

Filipe M. disse...

Algures por aí... :)

pinguim disse...

Concordo inteiramente contigo; eu exponho-me muito no meu blog, a um nível pessoal; mas há aspectos íntimos que são só meus, não são partilháveis...

Filipe M. disse...

Precisamente. Ninguém tem de saber as nossas fantasias ! Ninguém fica mais feliz por isso.