Páginas

23 janeiro 2011

Detalhes da Divagação

Se hoje tive a primeira folga num fim-de-semana ao fim de quatro meses, é óbvio que aproveitei a noite de ontem para sair. 

Desde que me assumi, para aqueles que acompanharam a situação no início, sabem que não tem sido bonito. De um claro desgosto e desilusão iniciais passou para um ignorância silenciosa pronta a saltar cá para fora em assuntos que não têm nada a ver, mas que no entanto têm tudo a ver. 

Não posso sair à noite. Um gay não pode sair à noite e sempre que o faço, levo uma faca em jeito de comentário da minha mãe, comentário que escolho ignorar mas que tenho vindo a acumular, a acumular. Quando há nas notícias algum rapaz que se deixa iludir por alguém que conheceu na Internet, já sei que vou ouvir comentários sobre o assunto, se saio à noite já sei que tenho de ter cuidado com as 'más companhias', se saio de dia tenho de ter atenção às ditas companhias, se estou na Internet tenho de ter cuidado com o que converso, leio, faço, etc.

Sou um grande defensor da desvalorização do silêncio. Quando não sabem do que falam, CALEM-SE. Quando vão dizer asneira, CALEM-SE. Quando vão magoar alguém, CALEM-SE. Infelizmente, a minha mãe não é assim, é negativa, auto-destrutiva, etc. 

Quando eu saio à noite, já sei que vou morrer atropelado, vou ser assaltado, vou ser violado, vou morrer de frio, que não me sei vestir, que ando com más companhias, que isto e aquilo... e também mais isto. Se não nos chegassem as más notícias sobre os gays que circulam por esse mundo fora, para deleite de muitos homofóbicos e muitos que padecem de uma profunda ignorância que os leva a entender tudo ao contrário para seu grande gosto (como por exemplo, os meus pais), o outro rapaz resolveu matar a velha. Detalhes, detalhes não são importantes. Só sei que é mais um comentário que vou ouvir. 

A minha querida mãe tem uma bela imagem sobre mim. Se eu saio à noite, sou uma puta, como todos os outros gays. Possivelmente vou apanhar doenças e vou morrer muito tragicamente, como muitos outros gays. Enfim... ontem a minha mãe insinuou que eu era explorado sabe-se lá por quem para que outros fins. Se calhar por alguma velha como o Carlos Castro... Não sei! Não tenho respostas para lhe dar. Não respondo, mas é uma facada que levo sempre que oiço este tipo de comentários. Dói. Adoro mesmo que estas notícias que ajudam a denegrir a imagem dos gays a uns indivíduos (que não são poucos) que já não precisam de grandes incentivos. Portanto, se estiveres a ler o meu blog, se quiseres pegar num saca-rolhas, saca-caricas, o que tu quiseres... e quiseres arrancar os tomates cherry, quiçá chucha, ao teu companheiro, ao teu parceiro, ao teu inimigo, por favor não o faças, não ajuda os pobres coitados como eu, que tentam mostrar aos seus pais que apesar de ser gay, não deixo de ser normal, não deixo de ser quem eu sou -.-'

Apenas saio com amigos, vamos ao bairro alto, trumps, beber um copo, conviver e dançar. Simples. Sou uma grande PUTA! E se calhar é por isso que eu oiço a música dos LMFAO - 'I AM NOT A WHORE' !

Enfim, já divaguei que chegue! O comming out tem muito que se lhe diga.

5 comentários:

AdamWilde disse...

São os tais estereotipos... Enfim, aqui em casa simplesmente não se fala. E eu acho que prefiro assim, para ninguém se sentir embaraçado...

Eric disse...

Compreendo-te, numa época em que o povo LGBT está a tentar ser aceite, os media continuam a denegrir a nossa imagem e isso influencia as pessoas.

Filipe M. disse...

A questão é... a culpa não é só dos media.

pinguim disse...

Fizeste bem em desabafar!
Faz bem à alma.

João Mateus disse...

é pa!! acho que acabei de descobrir que a minha mãe tem vida dupla... ela tb vive ctg? é que estiveste a falar da minha mãe, e eu já tenho 35 anos não sou um miudo...