Páginas

16 abril 2011

Detalhes Provincianos do Provincianismo Português...

Já estou para falar nisto há algum tempo. Cada vez reparo mais na estupidez e no provincianismo do povo tuga. Na grande maioria são mal formados e arrogantes com muita queda para o egoísmo e ignorância.

Adoro o contacto com as pessoas. Adoro ir para o trabalho, todo animado e chegar lá e levar com toda a má educação intolerância e estupidez. As pessoas são estúpidas! E se me disserem quais os meus melhores clientes eu digo-vos... Não são os portugueses. 

Chego à conclusão que já vi de tudo, no que toca ao provincianismo português. Já vi recusarem dar prioridade, já vi ficarem ofendidos por ter dado prioridade a uma grávida, já vi discutirem porque dei prioridade, já vi confrontos entre raças e comentários homofóbicos. Já vi apitarem na rua porque sim e já vi apitarem na rua porque é bonito. A mim irrita-me um bocado. É mesmo necessário? 

Já me ameaçaram, já me chamaram de burro e ignorante por trabalhar num supermercado, já berraram, já bufaram e já armaram confusão porque confundiram uma tentativa de ajuda, da minha parte, por uma acusação de roubo. Não dizem 'bom dia', 'boa tarde', 'boa noite' e não agradecem. Alguns não abrem a boca sequer, falamos com eles e eles acenam ou fazem grunhidos.

Também há aqueles que roubam e esses são os mais desprezáveis. E irritam-me profundamente. Trabalhar para virem uns e roubarem as coisas mais toscas que se pode imaginar. Há os que comem os produtos da loja e não pagam e ainda há aqueles que comem e atiram cascas e garrafas de águas vazias para o chão. De vez em quando, também tenho de andar de cu para o ar a apanhar as pastilhas que atiram para o chão. Outras vezes a lavar a sujidade anormal que fazem na casa de banho (há duas semanas, uma senhora fez o seu cócó, não na sanita, mas sim no chão; limpou?! Não!). 

Há os velhos sempre cheios de pressa, que vão fazer sabe-se lá o quê. E também há as pessoas que ficam na fila mais um bocadinho do que o normal e ficam logo nervosas e eu e todos temos de ouvir como estão insatisfeitas, como não queremos trabalhar, como somos calões, como isto é uma merda!

As pessoas são uma merda. E eu estou farto. Se tiver na caixa e forem à minha caixa eu vou olhar-vos nos olhos, vou cumprimentar-vos e perguntar educadamente se querem um saco, ou dois, ou três. Se forem educados, ajudo-vos a arrumar as compras. Se forem simpáticos, brinco convosco. Se berrarem comigo eu também berro. Se atirarem o dinheiro para cima do balcão em vez de o colocarem na minha mão, ou o colocarem calmamente em cima da bancada eu também vou atirar. 

Vou criar uma revolução à Egipto (eu digo Egipto e não Egito!) contra a estupidez e má formação dos cidadãos portugueses.

Tenham um bom fim-de-semana. E se forem um provinciano típico, por favor, não vejam mais anúncios do Pingo Doce, o Líder do Provincianismo!

7 comentários:

O-Riordan disse...

Como te compreendo; mesmo.

Já fui caixa do ex Modelo, há uns bons anos atrás.

Essa experiência fez-me ver as coisas de forma bem diferente e de ficar com uma visão diferente das pessoas, confesso um pouco mais boa que a tua, mas não muito. lol

Anyway, cansado que estou e pronto a deitar-me, um dia destes falo disso no meu blog.

Abraço e força para o próximo dia de trabalho! ;)

pinguim disse...

Esta semana encontrei no Continente aqui do sítio, uma moça nova na caixa; vou lá muitas vezes e nunca a tinha visto.
Foi de uma simpatia extrema, foi conversando comigo enquanto me atendia, gostei mesmo. E há tempos fui ao balcão do mesmo hiper, a perguntar se podia fazer, não uma reclamação, mas um escrito a louvar a simpatia cativante de uma pretinha que estava na peixaria; lá deixei a minha admiração por ela e dias mais tarde, comoveu-me o seu agradecimento.
Custa alguma coisa ser simpático?

Filipe M. disse...

Pinguim, acho que custa.

Não sei porquê. Quando eu sou simpático ou são simpáticos para mim fico cheio de energia, mais leve...

Sinto-me bem o resto do dia. Claro que não acontece quando trabalho... há sempre alguém que estraga tudo.

Miguel disse...

não te preocupes que um dia destes eu passo pela tua caixa para te sorrir, dar o dinheiro na mão, dizer-te boa tarde e no fim, quem sabe, ainda te dou um apalpão ahaha =p
abr

Nelo Zé disse...

há coisas que acho incríveis, tal como referiste, sinto-me bem ao ser simpático, aliás, ainda há umas semanas ajudei uma colega tua Pingo Doceana a repor...a senhora estava com enormes dificuldades em abrir as embalagens, então lá me juntei a ela pa ajudar.

Mas também temos que convir Filipe que nós gays somos ou oito ou oitenta, ou nos há muito simpáticos ou então (a maioria) é muito muito arrogante e grosseira.

Filipe M. disse...

Nelo, há muito gay elitista, inteligente, com poder económico e que por algum motivo (sabe-se lá qual) vive na percepção que é superior aos outros. E há muito que mesmo sem ser inteligente, sem poder económico que tem a mesma percepção.

Nunca disse que gente estúpida não estava em todo o lado. Pelo contrário :P

Miguel... Promessas, Promessas!

Ikki disse...

Há pessoas muito mal formadas! Então a cena da casa-de-banho, oh!
Se me apanhares a mim tens sorte, porque eu faço tudo isso que dizes que gostas. E ás vezes até faço rir o pessoal da Caixa com os meus disparates com cartões e moedas e talões de desconto. LOL Cenas!
A não ser que seja um rapazinho muito giro, aí fico meio encavacado.
Abraço,
Ikki